Hoje eu vou me visitar

Anizeuton Leite *

Vivemos em mundo barulhento e iluminado. Presenciamos um corre-corre frenético das pessoas, que quase sempre, buscam algo material para preencher o vazio existencial.

Somos diariamente bombardeados com paredões de som que circulam constantemente em nosso meio e que agridem os nossos ouvidos não só pela quantidade de decibéis que lançam ao ar, mas também pela péssima qualidade das músicas. Também faz parte da nossa paisagem urbana os letreiros luminosos, os outdoors, a propaganda capitalista…

Nesse ambiente hostil (barulhento e iluminado) não tem sobrado espaço para a cultura do silêncio e do aconchego. O silêncio é propício para a reflexão e promove um bem estar na alma. Precisamos ter momentos de silêncio para ouvir e ser ouvido. E o silêncio mais revelador é o silêncio interior. Ele revela quem somos verdadeiramente. Acorda-nos para a beleza da vida e a urgente tarefa de viver bem e viver o bem.

Ler mais…Hoje eu vou me visitar

Reencontro benéfico

Vianney Mesquita*

Na adversidade é que se prova a fidelidade dos amigos. (Nicolau MAQUIAVEL).

Na semana passada, dirigi-me à Av. Virgílio Távora, 999 – Fortaleza, a fim de bacorejar as temáticas de algumas produções librárias mais novas, por via da leitura de suas guarnições, em particular, aquelas relativas a apreciações literárias, notadamente obras de autores cearenses.

Ao escalar o derradeiro degrau daquela culta escada da famosa Livraria Cultura, deparei no cafezinho o meu amigo Prof. Dr. Francisco Auto Filho, da Universidade Estadual do Ceará, a quem há muito não via. Com ele, tampouco, mantinha qualquer conversa, sequer por telefone ou correio eletrônico, palestra que me fazia bastante falta, pois estivera, então, abstido de suas tiradas racionais e doutrinações elevadamente pedagógicas, o que aprecio demasiado, máxime no terreno do comportamento cidadão no âmbito da vida em sociedade.

Intelectual de renome nacional, aggiornato ad oggi em relação a todas as modalidades informacionais, não apenas de Filosofia – substância que cultiva e transmite na Universidade – ele assim procede, pois intui que o saber parcialmente ordenado não é estanque, não é feito em pedaços e “pacotes”,  distinguindo, pois, o fato de inexistir saber particular  (Non datur scientia de individuo), como já se descortinava  no âmbito da Escolástica de Alberto Magno e tantos outros sábios, ainda no momento bastante respeitada naquilo que o tempo, impondo naturalmente  outros pensares, não houve por bem falsear e desmanchar.

Ler mais…Reencontro benéfico

Elixir 914 – Artigo: Vianney Mesquita (Cadeira nº 37)

[Para o árcade novo José Pacceli Campos (1)]

Os remédios são mais lentos do que as doenças. (Públio Cornélio TÁCITO – historiador latino. Nasceu em 56; faleceu em 117).

Consoante informam os dicionários etimológicos da Língua Portuguesa, o vocábulo elixiral-iksir – decorre do árabe, que o recebeu do grego kserion/ou, e teve registo na Língua Portuguesa em 1726. É significativo de uma mistura de substâncias aromáticas, geralmente terapêuticas, mescladas em álcool, glicerina, vinho e outras essências líquidas e sólidas.

Durante a Idade Média – ciclo ocorrente de 476 a 1492 – eram atribuídas a tais poções propriedades sobrenaturais, conforme ainda hoje tem curso no entendimento popular, que admite à ingesta dessas infusões efeitos encantadores, sortilégios e milagres.

No Medievo, como “elixir da longa vida”, era um cozimento pretensamente medicinal produzido pelos alquimistas, com vistas a fazer rejuvenescer e assegurar uma dilatada existência das pessoas. Tal aspiração – impende expressar – via de regra, não se confirmava, haja vista a curta expectativa vital registada naquele período, comparativamente aos dias correntes (a esperança de vida chegando a 74 anos), quando atuam a Medicina e seus ramalhos científicos, com a cura de graves patologias e até extinção de enfermidades altamente letais, segundo ocorrem de ser, entre outras, a tuberculose, a SIDA e a maioria das cardiopatias. Impõe-se exprimir, ainda, o fato de que, se a estatística não contabilizasse as mortes por acidentes de veículos – em particular, de motocicletas – e os homicídios de todas as naturezas, a conjectura da idade humana no Brasil poderia chegar aos 80 anos.

Ler mais…Elixir 914 – Artigo: Vianney Mesquita (Cadeira nº 37)

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DE 28/06/2018

Aos vinte e oito dias do mês de junho de dois mil e dezoito, no Palácio da Luz, situado na Rua do Rosário, número um, em Fortaleza, a Academia Cearense da Língua Portuguesa realizou a sua reunião mensal. Estavam presentes os acadêmicos Maria Gorete Oliveira de Sousa  (Cadeira nº 1), Antônio Vicente Alencar (Cadeira nº 11), Maria Margarete Fernandes de Sousa (Cadeira nº13), Ítalo Gurgel (Cadeira nº17), Marcelo Braga (Cadeira nº 18), Sebastião Valdemar Mourão (Cadeira nº 19), Francisco Tarcísio Cavalcante (Cadeira nº 35), João Vianney Campos de Mesquita (Cadeira nº37), Sebastião Teoberto Mourão Landim (Cadeira nº 38), Raimundo Evaristo Nascimento dos Santos (Cadeira nº 40). Justificaram ausência os acadêmicos Regina Lúcia Barros Leal, Ana Paula de Medeiros, Giselda de Medeiros Albuquerque, Ana Vládia, Myrson Lima, Révia Herculano, José Ferreira de Moura, José Genuíno, Cid Carvalho, José Lemos Monteiro.  O Presidente Teoberto Landim, ao abrir a sessão, solicitou a presença na mesa  do Primeiro Vice-presidente Valdemir Mourão e do Segundo Secretário Marcelo Braga, o qual fez a leitura da Ata da reunião de 30/04/2018.  Posta em votação, a Ata foi aprovada por unanimidade. Em seguida, o Vice-presidente Valdemir Mourão informou a sua participação, representando a ACLP, na figura do Presidente Teoberto Landim,  em um evento na Academia Ipuense de Letras, Ciências e Artes. Na ocasião, houve o lançamento da Revista de número 8 da Academia Ipuense de Letras, Ciências e Artes. O Vice-presidente Valdemir Mourão teceu elogiosos comentários acerca do encontro e destacou a importância de a ACLP participar de eventos dessa natureza. Na verdade, é uma forma de divulgar mais a ACLP. Após as considerações, o Vice-presidente registrou também o recebimento de exemplares do jornal Binóculo, referentes aos meses de fevereiro, março, abril e maio; exemplares do jornal da UFC; convite da Universidade de Salamanca – Prêmio Reina Sofia de Poesia Iberoamericana; dois exemplares da obra As Três Capitais do Brasil – Memorial de Brasília Em Casa-museu de Adirson Vasconcelos. Ao passar para os informes, o acadêmico Ítalo Gurgel apresentou esclarecimentos sobre a edição 2018 da Revista Vernáculo. Mencionou que a participação na edição de 2018 da Revista Vernáculo atenderá ao que está previsto no Capítulo XII – da revista impressa e da página eletrônica – de acordo com  Regimento da ACLP. Ficou decidido, após votação, que não haverá restrições quanto aos gêneros os quais comporão a edição. Serão aceitos, para publicação, artigos e ensaios – sobre Língua Portuguesa – além de textos literários. Dessa forma, a Revista contemplará todos os acadêmicos da ACLP. Importante destacar que cinquenta por cento da publicação da Revista será destinada a Artigos e Ensaios. Ficou ainda definido que os acadêmicos os quais terão seus textos publicados deverão contribuir com  R$ 100,00 (cem reais) por página total ou parcialmente preenchida, limitando-se, a cada acadêmico, um máximo de 5 (cinco) laudas em papel A4, com o texto impresso na fonte Times New Roman, corpo 12, espaçamento 1,5 (uma linha e meia), com margens superiores e inferiores de 2,5 (dois e meio) centímetros e laterais de 3 (três) centímetros.  Após os esclarecimentos, o Presidente Teoberto Landim indicou os acadêmicos Sebastião Mourão, Ítalo Gurgel e Maria Gorete  para a composição da Comissão responsável pela editoração da Revista Vernáculo. Dando prosseguimento, o Presidente designou a Comissão Julgadora, para o ingresso do candidato Vicente Júnior no quadro efetivo da ACLP, postulante à Cadeira nº 4. A Comissão será formada pelos acadêmicos Sebastião Valdemir Mourão (presidente), José Myrson Melo Lima e Raimundo Evaristo N. dos Santos. A Hora do Vernáculo contou com a participação do acadêmico Raimundo Evaristo, o qual apresentou uma diversidade de recursos linguísticos utilizados por Machado de Assis em suas obras. Para tanto, apresentou  um texto, de sua autoria, intitulado Machado de Assis e alguns de seus meios expressivos. A explanação do nobre acadêmico despertou nos demais membros deste sodalício o interesse de se manifestar diante do tema apresentado, propiciando um proveitoso e enriquecedor debate. Antes de encerrar a reunião, o Presidente Teoberto Landim parabenizou os aniversariantes do mês José Myrson Melo Lima, José Batista de Lima, Maria Luisa Silva Bomfim, José Augusto Bezerra, Sebastião Valdemir Mourão e deu por encerrada a reunião convidando todos para o tradicional lanche das cinco. Nada mais a registrar, eu, Marcelo Braga, Segundo Secretário da ACLP, lavrei esta Ata para que seja lida, discutida e, se aprovada for, assinada. Fortaleza, vinte e oito de junho de dois mil e dezoito.

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DE 30/04/2018

Aos trinta dias do mês de abril de dois mil e dezoito, na sede do Colégio Irmã Maria Montenegro, situado na Rua Ildefonso Albano, 2600, em Fortaleza, a Academia Cearense da Língua Portuguesa realizou a sua reunião mensal. Estavam presentes os acadêmicos Maria Gorete Oliveira de Sousa  (Cadeira nº 1), Francisco Felipe Filho (Cadeira nº 2); Maria Luísa Bomfim (Cadeira nº 3); Regine Helena Silva dos Fernandes Vieira (Cadeira nº 7), Antônio Vicente Alencar (Cadeira nº 11), Maria Margarete Fernandes de Sousa (Cadeira nº13), José Myrson Melo Lima (Cadeira nº 14), Maria Elias Soares (Cadeira nº15), Giselda Medeiros Albuquerque (Cadeira nº 16), Ítalo Gurgel (Cadeira nº17), Marcelo Braga (Cadeira nº 18), José Ferreira de Moura (Cadeira nº 20); Révia Lima Herculano (Cadeira nº 34), José Batista de Lima (Cadeira nº 36),  João Vianney Campos de Mesquita (Cadeira nº37), Sebastião Teoberto Mourão Landim (Cadeira nº 38), Raimundo Evaristo Nascimento dos Santos (Cadeira nº40). Justificaram ausência os acadêmicos Ana Vládia, Paulo Lobão, Regina Barros Leal, Sebastião Mourão, Mário Barbosa, José Genuíno, Cid Carvalho, José Lemos Monteiro. Antes de iniciar os trabalhos, o Presidente Teoberto Landim distribuiu aos acadêmicos uma caneta personalizada da ACLP. Ao abrir os trabalhos, agradeceu a presença de todos no espaço do Colégio Irmã Maria Montenegro, agraciado pela segunda vez com a reunião da ACLP,  e informou que a reunião do mês de maio seria no dia 28, a se discutir o horário. Em seguida, solicitou ao Segundo Secretário Marcelo Braga a leitura da ATA da reunião anterior. Posta em votação, a ATA foi aprovada por unanimidade. O Presidente passou, então, aos informes dos acadêmicos. O acadêmico Ítalo Gurgel ressaltou a política de comunicação para o ano de 2018. Informou ainda que a coleção de Atas está completa, no entanto as Atas de três reuniões faltam assinaturas. Na ocasião, solicitou a assinatura aos acadêmicos presentes. Na continuidade dos informes, o acadêmico Vicente Alencar informou que, no dia 4 de maio, numa sexta-feira, a Academia Cearense de Literatura e Jornalismo comemorará o sétimo ano de sua fundação. Na ocasião, serão homenageados o poeta Bráulio Bessa e a atriz Karla Karenina. A reunião solene será realizada no Palácio da Luz às 19 horas. A acadêmica Maria Elias registrou nota de falecimento do professor Paulo Mosânio Teixeira Duarte.  A Hora do Vernáculo contou com a participação da acadêmica Regine Limaverde, com o texto de sua autoria A leitura é fonte inesgotável de prazer, cuja temática aborda, além do prazer inesgotável que a leitura proporciona ao indivíduo, o ato de ler como uma necessidade para bem compreender as situações do quotidiano e do mundo à sua volta. Em seu texto, afirma que “Quem não lê é cego que enxerga e não vê”.  Após a leitura,  comentários enriquecedores foram proferidos acerca do tema tratado.  Abrindo o capítulo da “Ordem do Dia”, o Presidente Teoberto solicitou à acadêmica Révia Herculano que fizesse a leitura do parecer e apresentasse o veredito da Comissão formada por ela, Maria Gorete e Felipe Filho para avaliar a proposta de admissão do professor Raimundo de Assis Holanda e Frei Hermínio Bezerra na Academia Cearense da Língua Portuguesa. Em seu parecer, a Comissão opina favoravelmente ao ingresso dos postulantes no quadro de associados efetivos da ACLP, ocupando as respectivas Cadeiras nº 22 e nº 27. Após encaminhar o parecer para apreciação do plenário e ser aprovado, o  Presidente iniciou, então, a votação, convocando, para compor a Comissão de votação, os acadêmicos Felipe Filho, Ítalo Gurgel e José Ferreira de Moura para, sob a presidência deste, conduzirem a consulta aos acadêmicos presentes. Foram apurados 18 votos, sendo 17 presenciais e um por correspondência, totalizando dezoito sufrágios. Destes, dezoitos votos se revelaram favoráveis ao ingresso de Raimundo de Assis Holanda e de Frei Hermínio na Academia. Antes de encerrar a reunião, o Presidente Teoberto Landim informou que abrirá edital para o preenchimento de duas novas vagas. Parabenizou os aniversariantes do mês Maria Gorete Oliveira, Manuel Crisóstomo do Vale e Genuíno Sales e  deu por encerrada a reunião, convidando todos para o lanche das cinco. Nada mais a registrar, eu, Marcelo Braga, Segundo Secretário da ACLP, lavrei esta Ata para que seja lida, discutida e, se aprovada for, assinada. Fortaleza, trinta de abril de 2018.

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DE 27/03/2018

Aos vinte sete dias do mês de março de dois mil e dezoito, no Palácio da Luz, situado na Rua do Rosário, número um, em Fortaleza, a Academia Cearense da Língua Portuguesa realizou a sua reunião mensal, a primeira reunião do novo biênio administrativo da ACLP, tendo como presidente o Professor Teoberto Landim. Estavam presentes os acadêmicos Maria Gorete Oliveira de Sousa  (Cadeira nº 1), Regine Helena Silva dos Fernandes Vieira (Cadeira nº 7), Antônio Vicente Alencar (Cadeira nº 11), Ana Paula de Medeiros Ribeiro (Cadeira nº 12), José Myrson Lima (Cadeira nº 14), Giselda Medeiros Albuquerque (Cadeira nº 16), Marcelo Braga (Cadeira nº 18), Sebastião Valdemir Mourão (Cadeira nº 19), Regina Lúcia Barros Leal de Silveira (Cadeira nº 24), Ana Vládia Mourão de Oliveira (Cadeira nº 32), Révia Lima Herculano (Cadeira nº 34), João Vianney Campos de Mesquita (Cadeira nº 37), Sebastião Teoberto Mourão Landim (Cadeira nº 38), Paulo Sérgio Lobão da Costa (Cadeira nº 39), Raimundo Evaristo Nascimento dos Santos (Cadeira nº 40). Justificaram ausência os acadêmicos Ítalo Gurgel, José Genuíno, Cid Carvalho, Mário Barbosa, José Lemos Monteiro, Miranda Leão, Batista de Lima, Maria Elias, Maira Margarete Fernandes, Felipe Filho e José Ferreira de Moura. Ao abrir os trabalhos, O Presidente Teoberto Landim solicitou a presença na mesa do primeiro vice-presidente Sebastião Valdemir Mourão e do Primeiro Secretário  Ana Vládia Mourão de Oliveira, a qual fez a leitura da Ata da reunião anterior. Posta em votação, a Ata foi aprovada por unanimidade. Em seguida, o Presidente Toberto Landim apresentou o seguinte informe: Convite, via correspondência, do lançamento do livro de 30 anos do Inesp, autoria das servidoras Vânia Monteiro Soares Rios e Ana Suely Romero da Frota Moraes, no dia 8 de março às 10:00. Aberto espaço para os Informes dos Acadêmicos, a acadêmica Ana Paula de Medeiros Ribeiro registrou o convite  para lançamento do livro Costurando Histórias: Conceitos, Cartas e Contos, organizado pelas professoras Ana Paula de Medeiros Ribeiro, Cristina Façanha Soares e Tâmara Maria Bezerra Costa Coelho. A obra será apresentada pelo Professor Batista de Lima, membro deste sodalício. Em seus informes, o Presidente Teoberto Landim informou aos acadêmicos acerca da renúncia das confreiras Aila Maria Leite Sampaio e Hermínia Maria Lima da Silva.  Na ocasião, o Presidente afirmou que as procurou, inclusive enviou e-mails, com o objetivo de que houvesse, por parte das duas acadêmicas, uma reavaliação na decisão de pedido de renúncia, uma vez que era para a ACLP uma honra tê-las como membro efetivo. No entanto, a tentativa não logrou êxito. Em seguida, fez a leitura do comunicado escrito, via e-mail, pela acadêmica Aila, a qual, sob a alegação de não dispor de tempo para participar das reuniões mensais, devido a suas atividades laborais como docente,  justificou os motivos de sua renúncia, seguindo a mesma justificativa, reforçada pela frase “faço das palavras da Aila as minhas”, a confreira Hermínia também optou por se afastar da ACLP. Devido a isso, o Presidente pôs, à disposição para votação, as cadeiras 4 e 21, cujo edital ainda será lançado. Em seguida, discutiu-se a respeito da confraternização dos acadêmicos para celebrar a posse da nova gestão. Ficou deliberado que o encontro será realizado no dia 13 de abril de 2018, numa sexta-feira, no Marina Park às 19:00. O objetivo, além da confraternização, é dar mais visibilidade à ACLP.   A Hora do Vernáculo contou com a participação da acadêmica Ana Paula de Medeiros Ribeiro, a qual proferiu a leitura do texto, de sua autoria, Aos pedagogos, com carinho, cuja temática aborda, além da importância do ato de ler e escrever, a necessidade de se oferecer condições, especialmente, às crianças  para o exercício da leitura e consequentemente da escrita. Ressaltou que o exercício contínuo proposto pelo professor na vivência escolar das crianças é o melhor meio para que essa habilidade seja naturalizada. Destaca ainda que o ler e o escrever são caminhos conjugados: a leitura deve ir além da decodificação; e a escrita, além da mera atividade de codificar. Após a leitura, comentários enriquecedores foram proferidos pelos acadêmicos Regine Limaverde, a qual destacou que escrever Literatura difere de escrever Ciência; Myrson Lima ressaltou a importância de se saber selecionar corretamente uma obra literária para a leitura de uma criança ou de um adolescente; Valdemir Mourão reforçou a deia de que a palavra solta, isolada não tem nenhum valor sem que haja uma contextualização; Raimundo Evaristo destacou a importância do gênero textual para o interesse da leitura. Concluído esse momento, o Presidente passou à Ordem do Dia, reforçando o horário e o dia do encontro de posse, e a vacância das cadeiras 4 e 21. Por fim, convidou a todos para o tradicional lanche das cinco, em que recebem congratulações os acadêmicos aniversariantes do mês de março Teoberto Landim, Ítalo Gurgel, Regina Barros Leal, Regine Limaverde, Horácio Dídimo e Francisco Felipe Filho. Nada mais a registrar, eu, Marcelo Braga, Segundo Secretário da ACLP, lavrei esta Ata para que seja lida, discutida e, se aprovada for, assinada. Fortaleza, vinte e sete de março de 2018.