ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA 28/06/2016

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DE VINTE E OITO DE JUNHO DE DOIS MIL E DEZESSEIS. Aos vinte e oito dias do mês de junho de dois mil e dezesseis, no Palácio da Luz, situado na Rua do Rosário, número um, em Fortaleza, Ceará, a Academia Cearense da Língua Portuguesa realizou sua reunião ordinária mensal, com a presença dos acadêmicos Maria Luísa silva Bomfim (Cadeira nº 03), José Augusto Bezerra (Cadeira nº 09), Antônio Vicente Alencar (Cadeira nº 11), José Myrson Melo Lima (Cadeira nº 14), Maria Elias Soares (Cadeira nº 15), Giselda Medeiros de Albuquerque (Cadeira nº 16), Italo Gurgel (Cadeira nº 17), Sebastião Valdemir Mourão (Cadeira nº 19), José Ferreira de Moura (Cadeira nº 20), Roberto Feijó Ribeiro de Sousa (Cadeira nº 30), Horácio Dídimo Pereira Vieira Barbosa (Cadeira nº 33) e João Vianney Campos de Mesquita (Cadeira nº 37). Na condição de visitantes, estiveram presentes Marcelo Braga, Fanny Ribeiro e Roberto Filho. Justificaram ausência os acadêmicos Aíla Maria, Ana Paula Ribeiro, Batista de Lima, Cid Carvalho, Genuíno Sales e Mário Barbosa. A sessão foi aberta com a leitura do expediente, que incluiu: a) recebimento de convite para a posse da Diretoria e do Conselho Fiscal da Academia de Ciências Sociais do Ceará, agendada para o dia trinta de junho; b) recebimento do livro “Dona Mariinha”, de Dário Ferreira; c) registro, por parte do acadêmico Vicente Alencar, do próximo lançamento do livro da confreira Ana Paula. Aberto espaço para os informes de ordem geral, Vicente Alencar comunicou que, no dia doze de julho, haverá mais uma Terça-feira de Prosa e Verso; Horácio Dídimo informou ter lançado mais uma coletânea de poesias, o “Livro de Sonetilhos”; o Presidente da Academia voltou a solicitar, dos confrades, sugestões para o Regimento da ACLP; também solicitou que cada acadêmico elaborasse pequeno texto sobre o patrono de sua Cadeira e pediu que buscassem informações sobre os patronos eméritos, visando à publicação da revista comemorativa dos quarenta anos da Academia; José Augusto convidou os acadêmicos para conhecerem a Biblioteca Antenor Nascentes e fez referência às gestões desenvolvidas, pela Academia Cearense de Letras, junto ao Poder Municipal, para a segurança e embelezamento da Praça General Tibúrcio; o Presidente Valdemir Mourão pediu sugestões para a agenda da próxima reunião, que acontecerá somente no dia vinte e nove de agosto, uma vez que, em julho, haverá recesso, e voltou a cobrar a apresentação de minicurrículo de cada acadêmico para publicação no blogue da Academia. Em seguida, foram constituídas duas comissões: a primeira, para análise dos currículos dos candidatos às cadeiras vagas, reunirá os acadêmicos José Ferreira de Moura, Myrson Lima e Giselda Medeiros; a segunda, incumbida de organizar um curso de Redação aberto a alunos da escola pública, estará integrada pelos acadêmicos Maria Elias, Italo Gurgel e Myrson Lima. Com a chegada do Segundo Secretário, foi feita, então, a leitura da Ata da sessão anterior. Colocado em discussão, o texto foi aprovado pela totalidade dos acadêmicos presentes. Na Hora do Vernáculo, Vianney Mesquita referiu-se à inexistência de vocábulo, em língua portuguesa, para retratar a atividade agroindustrial ligada ao Coco nucifera, pronunciando-se, ao final, a favor de se cunhar a palavra nuciferacultura, a fim de descrever a plantação e desdobramentos econômicos dessa atividade. Em seguida, Myrson Lima discorreu sobre o emprego do hífen. Após alinhar algumas observações gerais, deteve-se nos casos de hífen com prefixos e em outras situações especiais que requerem, ou não, aquele sinal diacrítico. Antes de encerrar os trabalhos, o Presidente Valdemir Mourão lembrou que os acadêmicos faltosos que não responderam ao comunicado da Academia foram excluídos dos quadros da entidade. Com relação ao ocupante da Cadeira nº 28, o sócio-fundador Luís Tavares Júnior, sugeriu que este passasse à categoria de Associado Honorário, reservando-se ao ocupante da Cadeira nº 39, Edmilson Caminha Júnior, a condição de Associado Correspondente. Ao dar por encerrada a sessão, o Presidente convidou para o “Lanche das Cinco”, momento em que os presentes se reuniriam em torno dos aniversariantes do mês: José Augusto Bezerra e o próprio Valdemir Mourão. Nada mais havendo para ser registrado, eu, Italo Gurgel, na condição de Segundo Secretário, lavrei a presente ata para que seja lida, discutida e assinada, em caso de aprovação. Fortaleza, vinte e oito de junho de dois mil e dezesseis.

Compartilhar