Regina Lúcia Barros Leal da Silveira

Regina Lucia Barros Leal da Silveira, Cadeira nº 24.
Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Ceará (1970) com Habilitação em Administração escolar; Tem Habilitação em Supervisão de Ensino pela Faculdade de Filosofia e Letras (1976); Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (1989). Formação em Psicodrama Pedagógico. (ACEP); Professora da Universidade de Fortaleza desde 1985 a 2013 professora titular, membro da Assessoria Pedagógica do Centro de Ciências Administrativas. Participou da Proposta de Avaliação Institucional da Universidade de Fortaleza. Foi membro suplente da Comissão de Avaliação Institucional. Membro efetiva do Conselho estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ceará representando a extinta FEBEMCE, órgão da Secretaria de Ação Social do Ceará. Cursou Direito Internacional no Instituto de Derechos Humanos, em San Jose na Costa Rica. Tem vasta experiência na área de Educação. Atuou como Diretora de Escola durante 18 anos, supervisão escolar em escolas públicas no Ceará. Capacitou educadores sociais em estados como Natal, Rio Grande do Sul, Ceará, Brasília. Atuou como Técnica em Educação na Secretaria de Ação Social e Secretaria de Educação colaborando na elaboração de instrumentos de avaliação curricular. Técnica de serviços relevantes do PROGRAMA DE REFORMAS SOCIAIS DO CEARÁ-PROARES, financiado pelo BIRD. Professora nos cursos de graduação em Pedagogia, Administração, Educação Física e em cursos de pós-graduação. Desenvolveu seminários de integração em cursos de pós-graduação da UNIFOR, FIC, CRISTHUS, INBEC, entre outros. Presta consultoria em empresas, desenvolvendo projetos pedagógicos de capacitação, seminários de relações humanas e formação de equipes, entre outros. Professora de Didática Geral, Didática do Ensino Superior, Metodologia da Pesquisa, Planejamento, Dinâmica de Grupo, Psicologia da Aprendizagem, Psicologia Evolutiva, atuando principalmente nos seguintes temas: o saber docente, o fazer pedagógico, as relações humanas, processo ensino-aprendizagem, formação do educador, o trabalho de grupos. Metodologia da pesquisa científica e avaliação institucional do Ensino Superior. Escritora e educadora. Tem publicações de livros técnicos, literários e artigos em revistas científicas. Ministrou cursos de capacitação de professores na Universidade de Fortaleza, e em outras instituições de ensinos superior (FIC, CRISTHUS, ATENEU, UVA, INBEC) entre outras. É Membro efetivo da Associação de Jornalistas do Brasil- AJEB. Participou como membro efetivo do Grupo Lítero Musical – Encontro das Quartas. Membro da Academia Cearense da Língua Portuguesa. Atualmente Conselheira da AJEB. Prêmio destaque Universidade Fortaleza em 20011. Prêmio destaque do Instituo de Educação Continuada- INBEC em 2013, 2014 1 2015. Menção Honrosa da Associação de jornalistas e escritoras do Brasil em 2015.Atualmente é Consultora Pedagógica do Instituto Cearense de Educação Continuada-INBEC e docente de Metodologia Cientifica.

Regine Limaverde

Regine Limaverde
Nascida em 14 de março de 1947, dia Nacional da Poesia. É poetisa e contista, tendo publicado até agora 18 livros. Pertence à Academia Cearense de Letras, à Academia Cearense da Língua Portuguesa, e à Academia de Letras e Artes do Nordeste. É bióloga , Mestre em Tecnologia do Pescado pela UFC e doutora em Microbiologia pela USP. É professora titular da Engenharia de Pesca e pesquisadora do Instituto de Ciências do Mar da UFC. Ganhou inúmeros prémios com destaque para o Prêmio Estado do Ceará em poesia ( 1983), Prémio Osmundo Pontes (1997) e prêmio Gente de Bem Fica para Sempre ( destaque poesia) em 2000.

Sebastião Teoberto Mourão Landim

Sebastião TEOBERTO Mourão LANDIM, cadeira nº 38.

Nasceu em 02 de março de 1943. Filho de Francisco Furtado Landim e de Heleônidas Mourão Landim, costuma dizer que seus pais e os irmãos são cearenses, e ele, por um acidente de percurso nasceu em PIO IX, no Piauí, mas se considera cearense, por aqui ter chegado com seis meses de idade, e ao Ceará dever toda a sua formação.

Os dez primeiros anos viveu em Ararendá, no sopé da Serra da Ibiapaba, clã dos Mourões e núcleo dos familiares materno. No início dos anos de 1950 a família se transfere para a cidade de Crateús, onde Teoberto Landim e os irmãos foram matriculados no Instituto Santa Inês, escola de Ensino Fundamental, dirigida pela legendária professora Francisca de Araújo Rosa, respeitada educadora nos tempos da palmatória. Ficou apenas dois anos em Crateús, sendo logo encaminhado para o Seminário Diocesano São José, de Sobral, No seminário interessou-se pelos estudos clássicos. Deixou a batina em 08 de dezembro de 1960. Como os estudos feitos no Seminário não eram equivalentes aos dos colégios leigos, matriculou-se no Colégio Estadual Lyceu do Ceará depois de exames de adaptação. Concluiu o Ensino Médio em 1963 e no ano seguinte fez os preparatórios, ingressando em 1965 no Curso de Letras da Universidade Federal do Ceará. Licenciou-se em Letras Vernáculas e respectivas literaturas em 1968, período crítico da ditadura, que não permitiu a colação de grau coletiva, tendo esta sido feita na própria secretaria da Faculdade. Mas desde 1965 que Teoberto Landim exerce o magistério lecionando em vários colégios de Fortaleza

Ingressou no magistério superior como professor de literatura brasileira do Curso de Letras da Universidade Federal do Ceará em março de 1977, e, em abril de 1995, faz concurso para a classe de Professor Titular de literatura brasileira da mesma Universidade, onde permaneceu até 2013, aposentado pela compulsória.

Em 1980 Teoberto Landim foi cursar o mestrado em Letras na PUC/RJ, concluindo em junho de 1983, e logo em seguida ingressa no Curso de doutorado em Letras na mesma Instituição. Concluídos os créditos, ganhou bolsa do DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico) da Alemanha onde deu continuidade aos seus estudos na Universidade de Colônia, concluindo sua tese de doutorado e defendendo-a em 1989. A partir de então, suas relações com a Universidade de Colônia lhe valeram vários convites para retornar, ora como Professor Visitante, ministrando curso de literatura e cultura brasileira, ora como Professor Pesquisador, com a colaboração do Professor Doutor Helmut Feldmann, e, atualmente, com o Professor Doutor Claudius Armsbruster, diretor do Instituto de Estudos Luso-Brasileiro, daquela Universidade.

No setor administrativo da UFC, Teoberto Landim foi, por várias vezes, chefe do Departamento de Literatura e Coordenador do Curso de Mestrado em Letras, onde orientou muitas dissertações de mestrado. Foi também Diretor do Centro de Letras e Artes da UVA, em Sobral, por quatro anos.

Atualmente, aposentado, se dedica à pesquisa acadêmica, o que lhe têm rendido muitas publicações: Conversa fiada(contos) – 1983; Tocando em miúdos(ensaios) – 1984; Busca (romance) – 1985;  Literatura sem fronteiras(ensaios)  – 1990; Seca: a estação do inferno(ensaios) – 1992;  Colheita tropical(ensaios) – 2000; A próxima estacão(romance)  – 2002; Escritos do cotidiano(ensaios) – 2003; Idéia, pra que te quero(ensaios) – 2004; Seca: a estação do inferno – 2a. ed.(ensaios) – 2005, além de artigos publicados em jornais e revistas especializados. Em 2009 publicou seu livro de poesia, As noites acumuladas dos meus dias,  em 2014 publicou seu segundo livro de poesia,Agreste Aven, e, em 2016 publicou Escalador de sonhos,poesias.. Em 1990, Teoberto Landim foi eleito membro da Academia Cearense de Letras, titular da cadeira nº 37, cujo patrono é Tomás Lopes.

Em 2010 foi nomeado pelo Governador Cid Gomes Conselheiro do Conselho Estadual de Educação onde ocupa a função de Presidente da Câmara de Educação Básica.

Desde 2006 é coordenador pedagógico do Colégio Irmã Maria Montenegro.

Sebastião Valdemir Mourão

MOURÃO, Sebastião Valdemir. Cadeira nº 19.

Professor universitário, radialista, jornalista acejiano, nasceu em Ipu‑Ce a 24/06/52. Filho de Francisco da Silva Mourão e Maria do Carmo Pereira (Mimosa Mourão). Licenciado em Letras pela UFC em 1976; pós-graduado, Lato Sensu, em Língua Portuguesa pela UECE em 1980; Mestre em Letras / Linguística pela UFSC em 1989, onde foi membro da comissão que reestruturou o curso de Mestrado e que implantou o Doutorado em Letras na Universidade Federal de Santa Catarina. Possui diplomas de vários cursos e de seminários na área.

Desde 1974 rege cursos e conferências para empresas e estudantes; lecionou nos melhores colégios de Fortaleza. Supervisionou e coordenou alguns deles; foi vice‑coordenador e coordenador do 1°‑Ciclo da UECE, de onde é professor aposentado. Foi assessor da Pró‑Reitoria de Graduação da UECE. Recebeu os seguintes títulos como professor: MELHOR PROFESSOR (4 vezes); PROFESSOR COMUNICAÇÃO DO ANO (2 vezes) e HONRA AO MÉRITO (1 vez). Membro do GELNE (Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste); do IP (Instituto de Pesquisas Linguísticas PUC/SP); da Associação Brasileira de Linguística; do GT de Psicolinguística da Região Sul; da Academia Eldoradense de Letras e Casa de Francisca Júlia de São Paulo; da Academia Brasileira de Poesia (Petropolitana de Poesia Raul de Leoni), Rio de Janeiro; Mestre‑de‑Obras da Ceia Literária da qual foi fundador e idealizador; fundador e coordenador do jornal CONSTRUÇÃO, FOLHA DA CEIA e da revista CEIA LITERÁRIA. Fundador e diretor do Colégio Silva Mourão. Ocupa a cadeira n°19 da Academia Cearense de Língua Portuguesa, a cadeira nº 2, atualmente seu presidente; da Academia Ipuense de Letras, Ciências e Artes da qual foi presidente e criador da Revista Acadêmica e da Folha Acadêmica e é membro da Associação Cearense de Jornalistas do Interior (ACEJI). Foi Conselheiro do Conselho Estadual de Educação do Ceará, ocupando a Presidência da Câmara de Educação Básica por vários anos, sendo condecorado com uma placa de homenagem por serviços prestados à educação do Estado do Ceará.
Figura em várias antologias e revistas. Idealizou e organizou algumas delas, dentre elas, oito Ceias Literárias, Revista da Academia Cearense da Língua Portuguesa nº 10 de 2002, nº 11 de 2014 e nº 12 de 2015, do livro dos patronos e da Revista Acadêmica 1 e 2 da Academia Ipuense de Letras, Ciências e Artes. Figura na Enciclopédia de Literatura Brasileira de Afrânio Coutinho e no Dicionário da Literatura Cearense de Raimundo Girão e Maria da Conceição Sousa. É autor lido em vários estados brasileiros e em VÁRIOS PAÍSES como EUA, Alemanha, Rússia, França, Ucrânia, China, Polônia, Turquia e Portugal.
Autor das seguintes obras:
1. Águas brancas (poesias);
2. Ideias (prosa e verso);
3. As proibidas (ideias);
4. E agora, Brasil? (Poesias);
5. Poesias pra quem ama;
6. Relembrando exercícios de português;
7. O pão que o táxi amassou (contos);
8. Português do dia a dia;
9. Redação Prática (em cinco edições), passando a Praticando Redação a partir da sexta edição. Em 2014, publicada a 8ª edição;
10. Maldição dos Vampiros (conscientização política);
11. Iraceminha (livro infantil); 12. Histórias Contadas no Alpendre.