ATA DA SESSÃO MAGNA 28/10/2016

ACADEMIA CEARENSE DA LÍNGUA PORTUGUESA (ACLP)
ATA DA SESSÃO MAGNA

Aos vinte e oito dias do mês de outubro do ano de dois mil e dezesseis, no Teatro Nadir Papi de Sabóia do Colégio Farias Brito, se deu a Sessão Magna de Aniversário de 39 anos da Academia Cearense de Língua Portuguesa (ACLP), e a posse dos novos membros deste sodalício. O confrade Vicente Alencar fez o cerimonial, iniciando com a composição da mesa que assim se dispôs: Valdemir Mourão, presidente da ACLP, preside a Sessão; Giselda Medeiros, poetisa e confreira; Prof. Vianney Mesquita, confrade e orador que falou em nome da ACLP; Prof. Thales de Sá Cavalcante, presidente das organizações Farias Brito; Sra. Patrícia Teixeira, diretora do Colégio Farias Brito – sede Dom Luís; Profa. Aída Sampaio, representando todos os acadêmicos. Estava também à mesa, o presidente da Academia Ipuense de Letras, Ciências e Artes (Ailca). O professor Valdemir Mourão deu início à Magna Sessão falando da satisfação em dar posse, naquela ocasião, a seis novos membros para a ACLP, como também em festejar os seus 39 anos. Em seguida, o professor Vianney Mesquita proferiu o discurso de Abertura da Magna Sessão, referindo-se ao aniversário de 39 anos do nosso sodalício, da posse significativa dos seis novos membros da ACLP, todos professores da Língua Portuguesa. A posse desses seis membros da ACLP vêm dar mais dinâmica e reforço à séria e comprometida gestão do atual presidente, professor Valdemir Mourão. Após o discurso do acadêmico Vianney Mesquita, o confrade Vicente Alencar conduziu os novos membros da ACLP para o juramento e a entrega dos colares. Felipe Filho. Cadeira n° 2. Patrono: Antônio Ferreira dos Santos, Professor da Universidade Estadual do Ceará (UECE), 48 anos de magistério. Hermínia Lima, Cadeira n° 4, Patrono: Amadeu Amaral, Formada em Letras pela Universidade Federal do Maranhão, doutora em Linguística, Professora da Unifor; Marcelo Braga, Cadeira n° 18, Patrono: Epifânio da Silva Dias, Formado em Letras pela UECE, Professor, Obra Publicada: Redação e Prática do Português – Fala e Escrita; Paulo Lobão, Cadeira n° 39, Patrono: Hamilton Elia, Formado em Letras pela UECE, Ensaísta e poeta; Teoberto Mourão Landim, Cadeira n° 38, Patrono: Padre Antônio da Cruz, Professor Titular da UFC, Mestrado PUC Rio de Janeiro, Doutorado na Universidade de Colônia, Alemanha; Wládia Mourão, Cadeira n° 32, Patrono: Otoniel Mota, Obra: Sangria Azul. O professor Felipe Filho falou em nome dos neoacadêmicos, apresentando um texto crítico, em que ressalta os erros, falhas e expressões abusivas que estão se tornando comum na comunicação dos dias atuais, como também os erros no domínio da morfologia, da sintaxe e da semântica. Por fim, o presidente da Sessão, professor Valdemir Mourão, ressaltou as presenças do prof. Genoíno Sales, José Lemos Monteiro e Horácio Dídimo, os quais foram homenageados com uma longa salva de palmas da plateia e dos membros da mesa. Antes de encerrar a sessão, o presidente da ACLP, professor Valdemir Mourão, agradeceu, penhoradamente, ao prof. Thalles de Sá Cavalcante, por acolher a sessão dos 39 anos da ACLP nas dependências de sua escola, como também à presença do presidente da Academia Ipuense de Letras. Convidou os presentes da Magna Sessão a um coquetel na área externa da escola. Não havendo mais nada a ser tratado, a Magna Sessão foi encerrada pelo presidente Valdemir Mourão e eu, José Ferreira de Moura, substituto do Secretário Ítalo Gurgel desta Academia, lavrei a presente ata que vai assinada por mim e por todos os acadêmicos presentes à Magna Sessão.
Em tempo: Sangria Azul é obra de Hermínia Lima; Redação – teoria e prática; Português – fala e escrita; representante da Academia Ipuense de Letras, Ciências e Artes, Lucila Ayres; Teoberto Landim senta-se à cadeira 38.

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA 28/09/2016

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DE VINTE E OITO DE SETEMBRO DE DOIS MIL E DEZESSEIS. Aos vinte e oito dias do mês de setembro de dois mil e dezesseis, no Palácio da Luz, situado na Rua do Rosário, número um, em Fortaleza, Ceará, a Academia Cearense da Língua Portuguesa realizou reunião ordinária, com a presença dos acadêmicos Maria Luísa Silva Bomfim (Cadeira nº 3), Antônio Vicente Alencar (Cadeira nº 11), Ana Paula de Medeiros Ribeiro, (Cadeira nº 12), José Myrson Melo Lima (Cadeira nº 14), Maria Elias Soares (Cadeira nº 15), Giselda de Medeiros Albuquerque (Cadeira nº 16), Italo Gurgel (Cadeira nº 17), José Ferreira de Moura (Cadeira nº 20), João Soares Lobo (Cadeira nº 25), Paulo de Tarso Vasconcelos Chaves (Cadeira nº 27), Révia Herculano (Cadeira nº 34), Francisco Tarcísio Cavalcante (Cadeira nº 35), João Vianney Campos de Mesquita (Cadeira nº 37) e Francisco Felipe Filho, representante da sociedade cearense no Conselho Fiscal. Também esteve presente Marcelo Braga, eleito a vinte e nove de agosto para ocupar a Cadeira nº 18 e ainda não empossado. Justificaram ausência os acadêmicos Cid Saboia de Carvalho, Genuíno Francisco de Sales, Mário Barbosa, Regine Limaverde, Roberto Feijó Ribeiro de Sousa e Sebastião Valdemir Mourão. Registre-se, ainda, a presença da Srª Maria da Conceição Lobo, esposa do acadêmico João Soares Lobo. O vice-presidente José Myrson Lima assumiu a condução dos trabalhos e justificou a ausência do presidente Valdemir Mourão. Na abertura do expediente, foi feita a leitura da ata da reunião anterior. Considerado fidedigno, o relato recebeu a assinatura dos presentes. Ao transmitir os informes da presidência, José Myrson Lima exortou os confrades a ajudar na localização de familiares dos patronos eméritos e enviar sugestões de pauta para as próximas reuniões. Também lembrou que estão sendo recolhidos subsídios para elaboração do Regimento da ACLP. Insistiu, por fim, no envio de currículos a serem postados no blog da entidade. Em seguida, leu o parecer do Conselho Fiscal, que aprovou a prestação de contas relativa aos anos de dois mil e quatorze e dois mil e quinze. A acadêmica Giselda Medeiros solicitou Voto de Louvor para o confrade José Batista de Lima, recentemente homenageado, pela Câmara Municipal, com o título de Cidadão de Fortaleza. A proposta teve aprovação unânime. Vicente Alencar registrou a posse de Roberto Vitor, filho do confrade Roberto Ribeiro, na Academia Cearense de Retórica, fato ocorrido na noite anterior. Aberta a Hora do Vernáculo, João Soares Lobo fez um paralelo entre dois sonetos, um de Camões, outro de Petrarca, aquele claramente inspirado neste; Vianney Mesquita apresentou a crônica “Remédio para barata”, reportando-se ao fato de a palavra remédio possuir diversas acepções, aplicáveis na dependência de certas necessidades e circunstâncias. Na sequência, procedeu-se à eleição para preenchimento de quatro vagas na ACLP. Em nome da Comissão constituída para analisar os currículos dos quatro postulantes, formada pelos acadêmicos Giselda Medeiro, Myrson Lima e Italo Gurgel, este último leu parecer favorável às candidaturas, seguindo-se votação sigilosa, supervisionada por Comissão integrada por Ana Paula de Medeiros, Marcelo Braga e João Soares Lobo. Doze acadêmicos apresentaram-se para votar, tendo sido apurados, ao final, os seguintes resultados: Francisco Felipe Filho, candidato à Cadeira nº 2, registrou dez votos favoráveis e um nulo; Hermínia Lima, candidata à Cadeira nº 4, recebeu onze votos favoráveis e um nulo; Ana Vládia Mourão de Oliveira, candidata à Cadeira nº 32, obteve sete votos favoráveis e um nulo; e Paulo Sérgio Lobão da Costa, candidato à Cadeira nº 39, conquistou sete votos favoráveis e um nulo. Diante de tais resultados, todos foram proclamados eleitos, devendo a data da posse ser definida pelo presidente Valdemir Mourão. Ao encerrar os trabalhos, José Myrson Melo Lima anunciou a próxima reunião para o dia vinte e oito de outubro e convidou os presentes para o Lanche das Cinco, ocasião em que seriam homenageados os aniversariantes de setembro: Luís Tavares Júnior (dia 7), José Rogério Bessa (dia 15), Edmilson Caminha Júnior (dia 27) e Maria Elias Soares (dia 30). Nada mais havendo a ser registrado, eu, Italo Gurgel, Segundo Secretário, lavrei a presente ata para que seja lida, discutida e assinada, em caso de aprovação. Fortaleza, vinte e oito de setembro de dois mil e dezesseis.

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA 29/08/2016

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DE VINTE E NOVE DE AGOSTO DE DOIS MIL E DEZESSEIS. Aos vinte e nove dias do mês de agosto de dois mil e dezesseis, no Palácio da Luz, situado na Rua do Rosário, número um, em Fortaleza, Ceará, a Academia Cearense da Língua Portuguesa realizou sua primeira reunião ordinária, após o recesso de julho, com a presença dos acadêmicos Regine Limaverde (Cadeira nº 7), Antônio Vicente Alencar (Cadeira nº 11), José Myrson Melo Lima (Cadeira nº 14), Italo Gurgel (Cadeira nº 17), Sebastião Valdemir Mourão (Cadeira nº 19), João Soares Lobo (Cadeira nº 25), Révia Herculano (Cadeira nº 34), José Batista de Lima (Cadeira nº 36), João Vianney Campos de Mesquita (Cadeira nº 37) e Francisco Felipe Filho, representante da sociedade cearense no Conselho Fiscal. Justificaram ausência os acadêmicos Ana Paula Ribeiro, Cid Carvalho, Genuíno Sales, Giselda de Medeiros, José Ferreira de Moura, Maria Elias Soares, Mário Barbosa e Tarcísio Cavalcante. Na condição de visitante, esteve presente Marcelo Braga, candidato a uma vaga na Academia, e que se ausentou do recinto, quando da votação para preenchimento de duas cadeiras. Na abertura do expediente, foi feito o registro das correspondências recebidas, seguindo-se os informes dos acadêmicos: Vianney Mesquita registrou a instalação da Arcádia Nova Palmaciana e posse da primeira Diretoria; Regine Limaverde justificou sua ausência às últimas reuniões, o que se deveu a problemas de saúde; Italo Gurgel fez rápido repasse das atividades culturais da semana em Fortaleza; Vicente Alencar lamentou que as grandes redes de livrarias, com filiais em Fortaleza, não comercializem livros de autores cearenses; Batista de Lima lembrou a abertura de livraria voltada para autores cearenses e desculpou-se por suas últimas ausências às reuniões, premido que se encontra pelos compromissos profissionais; Révia Herculano comunicou que no ano em curso e em 2017 estará sem condições de frequentar a Academia com a frequência que desejaria, e pediu para ser dispensada de algumas tarefas. No espaço destinado aos Informes da Presidência, Valdemir Mourão solicitou ajuda para localizar familiares dos patronos eméritos da ACLP; voltou a pedir sugestões para o Regimento, que está sendo formatado; reiterou pedido para que os acadêmicos lhe enviem seus currículos, a serem postados no blog da entidade; e encareceu sugestões para a pauta das reuniões. Na Hora do Vernáculo, Vianney Mesquita apresentou sua crônica “Valva versus válvula”, em que narra episódios ilustrativos de equívocos no uso de alguns vocábulos usados no dia a dia. Na sequência, Myrson Lima ocupou-se dos “Numerais: grafia e uso”, explorando as mais diversas circunstâncias linguísticas relacionadas a seu emprego. A Ordem do Dia previa a eleição de novos membros para preenchimento de duas vagas na ACLP. Por oito votos favoráveis e um voto nulo, Marcelo Braga foi eleito para ocupar a Cadeira nº 18, e Teoberto Landim, pelo mesmo placar, teve aprovado seu pleito à Cadeira nº 38. Proclamados os resultados, o presidente Valdemir Mourão encerrou a sessão e convidou a todos para o Lanche das Cinco, em homenagem aos aniversariantes de julho e agosto: Giselda Medeiros (14/julho), Mário Barbosa e Carlos D’Alge (24/julho), Vianney Mesquita (17/agosto) e Cid Carvalho (25/agosto). Nada mais havendo a ser registrado, eu, Italo Gurgel, Segundo Secretário, lavrei a presente ata para que seja lida, discutida e assinada, em caso de aprovação. Fortaleza, vinte e nove de agosto de dois mil e dezesseis.

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA 28/06/2016

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DE VINTE E OITO DE JUNHO DE DOIS MIL E DEZESSEIS. Aos vinte e oito dias do mês de junho de dois mil e dezesseis, no Palácio da Luz, situado na Rua do Rosário, número um, em Fortaleza, Ceará, a Academia Cearense da Língua Portuguesa realizou sua reunião ordinária mensal, com a presença dos acadêmicos Maria Luísa silva Bomfim (Cadeira nº 03), José Augusto Bezerra (Cadeira nº 09), Antônio Vicente Alencar (Cadeira nº 11), José Myrson Melo Lima (Cadeira nº 14), Maria Elias Soares (Cadeira nº 15), Giselda Medeiros de Albuquerque (Cadeira nº 16), Italo Gurgel (Cadeira nº 17), Sebastião Valdemir Mourão (Cadeira nº 19), José Ferreira de Moura (Cadeira nº 20), Roberto Feijó Ribeiro de Sousa (Cadeira nº 30), Horácio Dídimo Pereira Vieira Barbosa (Cadeira nº 33) e João Vianney Campos de Mesquita (Cadeira nº 37). Na condição de visitantes, estiveram presentes Marcelo Braga, Fanny Ribeiro e Roberto Filho. Justificaram ausência os acadêmicos Aíla Maria, Ana Paula Ribeiro, Batista de Lima, Cid Carvalho, Genuíno Sales e Mário Barbosa. A sessão foi aberta com a leitura do expediente, que incluiu: a) recebimento de convite para a posse da Diretoria e do Conselho Fiscal da Academia de Ciências Sociais do Ceará, agendada para o dia trinta de junho; b) recebimento do livro “Dona Mariinha”, de Dário Ferreira; c) registro, por parte do acadêmico Vicente Alencar, do próximo lançamento do livro da confreira Ana Paula. Aberto espaço para os informes de ordem geral, Vicente Alencar comunicou que, no dia doze de julho, haverá mais uma Terça-feira de Prosa e Verso; Horácio Dídimo informou ter lançado mais uma coletânea de poesias, o “Livro de Sonetilhos”; o Presidente da Academia voltou a solicitar, dos confrades, sugestões para o Regimento da ACLP; também solicitou que cada acadêmico elaborasse pequeno texto sobre o patrono de sua Cadeira e pediu que buscassem informações sobre os patronos eméritos, visando à publicação da revista comemorativa dos quarenta anos da Academia; José Augusto convidou os acadêmicos para conhecerem a Biblioteca Antenor Nascentes e fez referência às gestões desenvolvidas, pela Academia Cearense de Letras, junto ao Poder Municipal, para a segurança e embelezamento da Praça General Tibúrcio; o Presidente Valdemir Mourão pediu sugestões para a agenda da próxima reunião, que acontecerá somente no dia vinte e nove de agosto, uma vez que, em julho, haverá recesso, e voltou a cobrar a apresentação de minicurrículo de cada acadêmico para publicação no blogue da Academia. Em seguida, foram constituídas duas comissões: a primeira, para análise dos currículos dos candidatos às cadeiras vagas, reunirá os acadêmicos José Ferreira de Moura, Myrson Lima e Giselda Medeiros; a segunda, incumbida de organizar um curso de Redação aberto a alunos da escola pública, estará integrada pelos acadêmicos Maria Elias, Italo Gurgel e Myrson Lima. Com a chegada do Segundo Secretário, foi feita, então, a leitura da Ata da sessão anterior. Colocado em discussão, o texto foi aprovado pela totalidade dos acadêmicos presentes. Na Hora do Vernáculo, Vianney Mesquita referiu-se à inexistência de vocábulo, em língua portuguesa, para retratar a atividade agroindustrial ligada ao Coco nucifera, pronunciando-se, ao final, a favor de se cunhar a palavra nuciferacultura, a fim de descrever a plantação e desdobramentos econômicos dessa atividade. Em seguida, Myrson Lima discorreu sobre o emprego do hífen. Após alinhar algumas observações gerais, deteve-se nos casos de hífen com prefixos e em outras situações especiais que requerem, ou não, aquele sinal diacrítico. Antes de encerrar os trabalhos, o Presidente Valdemir Mourão lembrou que os acadêmicos faltosos que não responderam ao comunicado da Academia foram excluídos dos quadros da entidade. Com relação ao ocupante da Cadeira nº 28, o sócio-fundador Luís Tavares Júnior, sugeriu que este passasse à categoria de Associado Honorário, reservando-se ao ocupante da Cadeira nº 39, Edmilson Caminha Júnior, a condição de Associado Correspondente. Ao dar por encerrada a sessão, o Presidente convidou para o “Lanche das Cinco”, momento em que os presentes se reuniriam em torno dos aniversariantes do mês: José Augusto Bezerra e o próprio Valdemir Mourão. Nada mais havendo para ser registrado, eu, Italo Gurgel, na condição de Segundo Secretário, lavrei a presente ata para que seja lida, discutida e assinada, em caso de aprovação. Fortaleza, vinte e oito de junho de dois mil e dezesseis.

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA 30/05/2016

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DE TRINTA DE MAIO DE DOIS MIL E DEZESSEIS. Aos trinta dias do mês maio de dois mil e dezesseis, no Palácio da Luz, situado na Rua do Rosário, número um, em Fortaleza, Ceará, a Academia Cearense da Língua Portuguesa realizou sua reunião ordinária mensal, com a presença dos acadêmicos Antônio Vicente Alencar (Cadeira nº 11), José Myrson Melo Lima (Cadeira nº 14), Maria Elias Soares (Cadeira nº 15), Italo Gurgel (Cadeira nº 17), Sebastião Valdemir Mourão (Cadeira nº 19), José Ferreira de Moura (Cadeira nº 20), Regina Barros Leal (Cadeira nº 24), Francisco Tarcísio Cavalcante (Cadeira nº 35) e João Vianney Campos de Mesquita (Cadeira nº 37), assim como do representante da sociedade no Conselho Fiscal, Francisco Felipe Filho. Justificaram ausência os acadêmicos Ana Paula de Medeiros Ribeiro, Cid Saboia de Carvalho, Giselda de Medeiros Albuquerque, Mário Barbosa, Regine Limaverde e Révia Lima Herculano. Na abertura da Ordem do Dia, o Segundo Secretário registrou as correspondências e publicações recebidas e leu a Ata da reunião anterior, que foi aprovada e recebeu a assinatura dos presentes. Também apresentou a confirmação do recebimento de correspondência enviada aos acadêmicos faltosos. Seis deles assinaram o recibo: Francisco Dias da Rocha, José Correia Lima Júnior, Luíz Geraldo de Miranda Leão, Maria Elias Soares, Paulo Mosâneo Teixeira Duarte e Raimundo de Assis Holanda. Este último, em missiva encaminhada à Academia, renunciou à Cadeira nº 02. Por sua vez, o acadêmico Francisco Dias da Silva comunicou ter-se desligado da ACLP vinte e três anos atrás, o que comprovou anexando cópia da carta-renúncia. Como último tema do Expediente, o Segundo Secretário apresentou cópia da Indicação de Lei nº 0281/2015, de autoria do Vereador Evaldo Lima, que “autoriza o Chefe do Poder Executivo a ceder à Academia Cearense da Língua Portuguesa, na forma de cessão de uso, um imóvel destinado a abrigar sua sede”. Dando início a seus Informes, o Presidente Sebastião Valdemir Mourão solicitou que se criasse comissão com o propósito de acompanhá-lo em visita a ser agendada com o Prefeito de Fortaleza. Na ocasião, seria levantado o tema da cessão do imóvel. Myrson Lima sugeriu que, na mesma audiência, fosse discutida a criação de um curso, a ser ministrado por membros da ACLP e oferecido, gratuitamente, a alunos da Rede Municipal de Ensino. Na sequência, o Presidente anunciou haver regularizado, junto à Receita Federal, o CNPJ da Academia. Em seguida, declarou vagas a Cadeira 04, pela ausência contumaz de seu ocupante, Paulo Mosâneo Teixeira Duarte; a 18, pelo falecimento do acadêmico José Nascimento Braga; e as de número 02, 32 e 38, por renúncia de seus titulares, respectivamente, Raimundo de Assis Holanda, Francisco Dias da Silva e Maria Neide Azevedo Lopes. O Presidente ainda comentou a situação de vários acadêmicos diante de seus deveres estatutários, tendo anunciado o retorno à rotina acadêmica de Maria Elias Soares (Cadeira nº 15) e a manifestação de interesse em seguir vinculado à ACLP, por parte de José Correia Lima Júnior (Cadeira nº 05) e Luíz Geraldo de Miranda Leão (Cadeira nº 26). Com relação a Paulo Mosâneo, que não apresentou justificativa pelo absenteísmo, será encaminhada correspondência comunicando seu desligamento da agremiação. Valdemir Mourão aventou, ainda, a possibilidade de se consultar Luís Tavares Júnior (Cadeira nº 28) sobre sua conversão em Associado Honorário e de Edmilson Caminha Júnior (Cadeira nº 39) em Associado Correspondente. Incluíram-se, por fim, entre os Informes da Presidência: 1) a abertura de conta bancária em nome da Academia e a possibilidade de também se quitarem as mensalidades através de boleto; 2) a proposta de que, na minuta do Regimento, em fase de elaboração, se inclua a obrigatoriedade de presença em um mínimo de cinquenta por cento das reuniões mensais, sugestão que obteve aprovação unânime; 3) o próximo lançamento de Edital para preenchimento das quatro cadeiras vagas e a possibilidade de os postulantes eleitos entrarem em consenso com relação à forma como ocorrerão as solenidades de posse – se individualizadas ou de uma forma unificada; 4) o encaminhamento de convite à professora Ingrid Schwamborn para integrar-se à ACLP como Associada Correspondente. Na Hora do Vernáculo, Italo Gurgel falou sobre “Estrangeirismos: entre a assimilação acrítica e a rejeição peremptória”. Em seguida, Tarcísio Cavalcante e Myrson Lima teceram comentários enriquecedores. Encerrando os trabalhos, o Presidente anunciou os aniversariantes do mês (Aila Sampaio, Paulo Bonavides, Myrson Lima, Batista de Lima e Maria Luísa Bomfim). Regina Barros Leal justificou suas últimas ausências e Maria Elias Soares anunciou seu retorno às atividades acadêmicas. Nada mais havendo a registrar, eu, Italo Gurgel, na condição de Segundo Secretário, lavrei a presente ata, para que seja lida, discutida e, em caso de aprovação, assinada. Fortaleza, trinta de maio de dois mil e dezesseis.

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA 28/04/2016

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DE VINTE E OITO DE ABRIL DE DOIS MIL E DEZESSEIS. Aos vinte e oito dias do mês abril de dois mil e dezesseis, na Rua do Rosário, número um, em Fortaleza, Ceará, a Academia Cearense da Língua Portuguesa realizou sua reunião ordinária mensal, aberta e encerrada com a presença dos acadêmicos Antônio Vicente Alencar (Cadeira nº 11), José Myrson Melo Lima (Cadeira nº 14), Italo Gurgel (Cadeira nº 17), Sebastião Valdemir Mourão (Cadeira nº 19), Manoel Crisóstomo do Vale (Cadeira nº 31) e João Vianney Campos de Mesquita (Cadeira nº 37). Justificaram ausência os acadêmicos Aila Sampaio, Ana Paula, Giselda de Medeiros, Mário Barbosa, Paulo de Tarso, Révia Herculano e Tarcísio Cavalcante, assim como o representante da sociedade no Conselho Fiscal, Francisco Felipe Filho. Na abertura dos trabalhos, o Segundo Secretário registrou as correspondências e publicações recebidas e leu a Ata da reunião anterior, que foi aprovada e recebeu a assinatura dos presentes. O Presidente Valdemir Mourão comunicou o envio de cartas aos acadêmicos inadimplentes e que há muito tempo estão afastados da Academia. Solicitou o encaminhamento de material para o Livro dos Patronos e Patronos Eméritos, bem como do currículo dos acadêmicos, a ser postado no blog da ACLP. Reportou-se, em seguida, aos preparativos para a comemoração dos quarenta anos da Academia, em outubro de 2017, e pediu apoio aos confrades para que todas as academias atuantes no Ceará fossem convidadas. O Presidente ainda comentou a proposta de a Academia oferecer um curso de redação, mas alertou para as dificuldades que se vislumbram, como a escolha de local adequado e a carência de tempo, por parte dos acadêmicos, para ministrar aulas. Suscitado o tema do preenchimento das cadeiras vagas na entidade – as de número dezoito e trinta e oito – o Presidente colocou em discussão o valor da inscrição para o processo seletivo. Por maioria simples, definiu-se que a taxa cobrada seria de duzentos reais. O acadêmico Vicente Alencar convidou os presentes a participar da solenidade comemorativa dos cinco anos da Academia Cearense de Literatura e Jornalismo, a ter lugar, no dia quatro de maio, na sede da Associação Cearense de Imprensa. Na Hora do Vernáculo, Myrson Lima comentou questões de Ortoepia, apresentando exemplos de vocábulos que são comumente objeto de dúvida ou de desvio da pronúncia culta. Vianney Mesquita, por sua vez, argumentou que não se deve pluralizar o vocábulo Euro, designativo da moeda adotada pela União Europeia. Antes de encerrar os trabalhos, o Presidente congratulou-se com os acadêmicos aniversariantes do mês de abril: Paulo de Tarso, Manoel Crisóstomo, Neide Azevedo, Genuíno Sales e Arnaldo Vasconcelos. Nada mais havendo a registrar, eu, Italo Gurgel, na condição de Segundo Secretário da ACLP, lavrei a presente ata, para que seja lida, discutida e, em caso de aprovação, assinada. Fortaleza, vinte e oito de abril de dois mil e dezesseis.