Dicionário de Gíria do Prof. JB Serra e Gurgel chega à 9ª edição

A biblioteca da Academia Cearense da Língua Portuguesa (ACLP) já incorporou a seu acervo a 9ª edição do “Dicionário de Gíria” do Prof. JB Serra e Gurgel. A obra, com 822 páginas, contém 34.268 verbetes – 268 a mais com relação à 8ª edição. Incluem-se aí 1.171 gírias de Portugal, 247 de Angola e 211 de Moçambique, além daquelas presentes nas redes sociais – muitas em inglês. Ressalte-se que, o primeiro dicionário de gíria brasileira, lançado, em 1912, por Elysio de Carvalho, já incorporava inúmeras expressões argentinas, italianas e espanholas.

Há muita discussão sobre os efeitos das gírias das redes sociais na Língua Portuguesa. Segundo o Prof. Serra e Gurgel, “cada vez mais os brasileiros leem menos e isso contribui para a redução do seu equipamento linguístico”. Considera o autor que “as redes sociais tendem a simplificar, a racionalizar e a efetivar uma intensa transplantação cultural. Há muito tempo que observamos essa transmigração, que, com as redes, foi intensificada, levando alguns especialistas a inferir que teremos uma degradação da língua no curto prazo”.

O Dicionário traz 2.613 verbetes do Rio de Janeiro, 656 do Ceará, 403 de São Paulo, 252 do Distrito Federal, 206 de Minas Gerais, 206 da Bahia, 191 do Amazonas, 110 do Paraná, 109 do Pará, 103 de Goiás, 55 do Maranhão, 46 de Rondônia, 39 de Pernambuco, 37 do Espírito Santo, 32 da Paraíba, 7 de Roraima, 5 do Amapá, 5 de Alagoas e 5 do Acre. Muitos daqueles atribuídos ao Ceará estão presentes em todo o Nordeste.

Dentre as temáticas mais numerosas estão as mulheres (1.645 verbetes), os malandros, o dinheiro, a corrupção, os homossexuais, os ladrões, os maridos traídos, os policiais e os bandidos. Serra e Gurgel revela que o “politicamente correto” não influi no processo de dicionarização, que está bem acima de quaisquer outras considerações e não se submete ao viés da censura.

O AUTOR

JB Serra e Gurgel nasceu em Acopiara/CE, estudou no seminário do Crato e, em Fortaleza, no Colégio Lourenço Filho e Liceu do Ceará. Graduou-se em Ciências Sociais pela UFRJ. Na Capital cearense, trabalhou na Gazeta de Notícias, O Estado e Rádio Dragão do Mar. No Rio de Janeiro, atuou na Última Hora, na sucursal do Diário de São Paulo, com Ibrahim Sued em O Globo, e na TV Globo. Trabalhou no IBC, Embratur e INSS, antes de entrar para o Ministério da Previdência e Assistência Social. Em Brasília, foi professor de Comunicação da UNB e assessor de 15 ministros de Estado, assim como de dois presidentes da República. Começou a elaborar o “Dicionário de Gíria” em 1990, relançando-o, desde então, em sucessivas edições cada vez mais elaboradas.

Contatos com o Prof. JB Serra e Gurgel podem ser feitos pelo e-mail: serraegurgel@gmail.com ou gurgel@cruiser.com.br

Compartilhar