Distrenado

Sentido no cearensês: sem graça, encabulado.

Exemplo: Depois que fez esta besteira, ficou todo distrenado.

Trova de Josenir Lacerda, cordelista do Crato.

Se o sujeito tá confuso

Tristonho e encabulado

Com vergonha, constrangido

Feito um cão escorraçado

Tem gente que olha e diz:

– Aquele pobre infeliz

Tá sem graça, “distrenado”.

Acento diferencial

A) O acento diferencial pelo acento gráfico (de intensidade) deixa de existir (agudo ou circunflexo) nas palavras homógrafas paroxítonas. Exemplos:

1) coa, coas (verbo coar e subst.: coação, ato de coar) 2) para (verbo parar) ≠ para ( preposição);

3) pela, pelas (v. pelar e substantivo: jogo, bola de borracha, ato de pelar) ≠ pela(s){ comb. per + la(s) };

4) pelo (v. pelar), ≠ pelo ( comb. de per + lo); 4) pelo, pelos (subst.: cabelo, fio delgado) ≠ pelo {comb. de per + lo(s)};

5) pera ( subst.: fruta, interruptor elétrico ); pera (subst.: usada no composto pêra-fita: grande pedra fincada no chão; monumento de pedra) ≠ pera ( prep. arcaica, ainda de uso oral popular );

6) pero (subst.:fruta; variedade de maçã; nome dado aos portugueses pelos índios) ≠ pero (conjunção antiga);

7) pola, polas (subst.: sova, pancadaria) ≠ pola, polas {forma antiga de por + la(s) };

8) pola, polas (subst.: broto, galho pequeno) ≠ pola, polas { formas antigas de por + la(s) };

9) polo, polos ( subst.: extremidade, jogo) ≠ polo, polos1 {formas antigas de por + lo(s) };

10) polo, polos (subst.: gavião pequeno) ≠ polo, polos {forma antiga de por + lo(s) }.

EXCEÇÕES: 1) pôde (v. poder, pret. perf..) ≠ pode (v. pres. ind.); 2) pôr (v.) ≠ por (preposição).

CUIDADO! Os monossílabos ás (tônico, carta de baralho) ≠ as (artigo plural, átono) e más (advérbio, singular de má) ≠ mas (conjunção) se incluem ao grupo dos monossílabos tônicos, portanto não entram na regra das paroxítonas.

B) O acento diferencial morfológico é o que distingue a terceira pessoa do plural dos verbos ter e vir (e seus derivados) da terceira pessoa do singular. Exemplos:

1) ele tem ≠ eles têm;

2) ele vem ≠ eles vêm;

3) ele detém ≠ eles detêm; 4) ele provém ≠ eles provêm.

ATENÇÃO! Nas formas verbais em que acrescenta um pronome oblíquo (ver colocação de pronomes), deve-se ignorar o pronome e enquadrá-las normalmente às regras de acentuação. Exemplo:

1) Fi-lo (não acentuado); escrevê-lo; fá-lo-íamos (com dois acentos); pô-lo-ia; esperá-lo-íamos; amá-la-íeis; fá-lo-ás; pô-lo.

C) O acento diferencial de timbre foi abolido na Reforma Ortográfica de 1971, com exceção da forma verbal pôde, já explicado e exemplificado no acento diferencial de intensidade.

Vocabulário: abstêmio

Diacronicamente, significa aquele que se priva de vinho. Vem do verbo abster, do latim abstinere, cuja origem é abstemium (de temum, temetum, vinho) com o prefixo -abs, que exprime afastamento. Fem.: abstêmia.

  • Sincronicamente, significa o afastamento de qualquer bebida, de drogas, não apenas de vinho. Exemplos:

1) Conversando com um amigo, disse: – Há duas semanas faço abstinência de cerveja.

2) O rapaz está em abstinência de drogas há meses.

crê, crer; dá, dar; lê, ler; vê, ver; está, estar; ri, rir.

Escreve-se com r, quando se pode substituir o verbo em questão por permanecer, oferecer ou sinônimos no infinitivo.
Escreve-se sem r, quando se pode substituir o verbo em questão por permanece, oferece ou sinônimos na 3a pessoa do singular, ou seja, sem r. Exemplos:

1) Ninguém está duvidoso = Ninguém permanece duvidoso.

2) Ninguém pode estar com dúvidas = Ninguém pode permanecer com dúvidas.

3) Ele só dá o que tem = Ele só oferece o que tem.

4) Ele só pode dar o que tem = Ele só pode oferecer o que tem.

5) O homem crê no dinheiro, na fama e na consciência.

6) Crer em ti é uma questão de sobrevivência.

7) Ela lê minha mão como se lesse meu coração.

8) Meus filhos gostam de ler romances.

9) O ser que vê a verdade encontra a paz eterna.

10) Todo mundo ri antes do tempo.

11) Quem quiser rir de mim que o faça à minha frente.

ATENÇÃO! Somente os verbos crê, dê, lê, vê (crer, dar, ler, ver) e seus derivados são escritos na 3a pessoa do pl. com dois “ee” como creem, deem, leem, veem, descreem, desdeem, releem, reveem.

Olhe! Ele crê. / Eles creem. Que ele dê. / Que eles deem. Ele lê. / Eles leem. Ele vê. / Eles veem.

Palavras homófonas

absolver, absorver. Particípio regular: absolvido; irregular: absolto.

Absolver significa declarar inocente; isentar, relevar da culpa imputada; perdoar. Exemplo:

1) A morte não me absolverá, apenas fará com que os vivos reconheçam meus valores.

absorver significa sorver, aspirar, embeber em si, recolher em si; consumir, exaurir, esgotar; requerer toda atenção de; engolir (comendo ou bebendo); aprender, etc. Particípio regular: absorvido; irregular: absorto. Exemplos:

1) A escritura deste livro absorveu um dos melhores momentos que tive como escritor.

2) Na sorveteria, absorvi duas bolas de sorvete com belo sabor.

cerrar, serrar. São palavras homófonas, mesma pronúncia, mas significado e grafia diferentes.

Cerrar: fechar; unir; adensar. Ex.: “avermelharam-se-lhe os olhos e as faces, cerrou os dentes…” (Manuel Antônio de Almeida. Memórias de um Sargento de Milícias).

Serrar: cortar com serra. Ex.: Serrei a madeira em pedaços que davam para fazer um carrinho.

Prof. Mourão – 01-02-2016

Palavras parônimas

desapercebido, despercebido.

São palavras parônimas, com escritas parecidas, mas diferentes na pronúncia, na escrita e na significação.

Desapercebido, adj.: desprovido, desprevenido, descuidado, sem provisões. Ver despercebido. Ex.:
1) Ele está muito desapercebido durante a vigilância.

2) “… passava desapercebido, e tinha segurança de que o não achariam com facilidade se o procurassem.” (Manuel Antônio de Almeida. Memórias de um Sargento de Milícias). Na verdade, o autor deveria ter usado despercebido, tendo em vista o significado pretendido.

Despercebido: não notado; não observado.
Ex.: Ela passou despercebida na festa de ano novo.